Ilha das Flores


O curta metragem Ilha das Flores (Documentário. Diretor: Jorge Furtado, Brasil, 1989) passa em 13 minutos uma mensagem de desigualdade social e degradação ambiental, arrebatadora. Com uma narração intensa, o curta o tempo todo nos remete ao papel de “animais com o telencéfalo altamente desenvolvido e possuidores de um polegar opositor”.

Ilha das flores discute a produção de alimentos, a cadeira de produção agrícola, a partir da trajetória de tomates desde o seu plantio e colheita pelo produtor, sua venda ao mercado, seu consumo por uma dona de casa, o descarte de alguns e o seu destino final no lixão. Em ilha das flores, antes de terem a possibilidade de serem reaproveitados pelos moradores locais, os tomates e demais alimentos descartados passam por uma triagem para servirem de alimento aos porcos, pois esses possuem um dono, que zela por eles, ao contrário dos moradores do lixão de ilha das flores.

Tomando como exemplo a questão do lixo, o filme mostra a degradação ambiental causada pelo lixão e percebemos o quão limitada pode ser uma análise, apenas a partir do olhar biológico, quando tratamos das questões ambientais. Esse olhar parcial, pode levar a um entendimento superficial e distanciado das necessárias análises sociais, políticas e econômicas. Resumindo, não se pode pensar a educação ambiental e a questão ambiental, sem antes pensarmos sobre temas sociais como a desigualdade social e conflito de classes, por exemplo.

Assista no You Tube: http://www.youtube.com/watch?v=KAzhAXjUG28&feature=player_embedded

Anúncios

8 opiniões sobre “Ilha das Flores

  1. Pingback: Ilha das Flores | Educação Ambiental Crítica | iComentários

  2. Pingback: Educação ambiental crítica pela democratização da comunicação #DemoCom #Eblog « Educação Ambiental Crítica

  3. Oque os órgãos públicos poderiam fazer para pelo menos minimizar esse fenômeno social que assola a Ilha das Flores?
    Se puder me responder o quanto antes possível eu agradeço.

    • Christian,
      Você assistiu o filme? Observando os problemas sociais que são demonstrados no filme, como por exemplo o lixão, a situação de risco das pessoas que vivem nesse lixão na pobreza extrema, por exemplo, você não seria capaz de pensar o que os órgãos públicos poderiam fazer para minimizar esses problemas?
      Um Abraço,
      Bárbara

      • Eu assisti o filme, mas eu fico pensando nas inúmeras ações que órgãos públicos poderiam fazer, fico pensando em qual delas seria a mais eficiente, qual ação melhoraria a condição de vida desses moradores da Ilha das Flores, já que podem ser feitas tantas coisas. Eu acredito que exista alguma coisa mais objetiva para essa situação.
        O que você acha?

      • Christian,
        Como você disse, podem ser feitas muitas coisas, mas o princípio básico seria, na minha opinião, dar dignidade as pessoas que ali vivem, ou seja, retirar as pessoas daquela condição degradante de viver no e do lixo.
        um abraço,
        Bárbara

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s