Para não nos perdermos da crítica


O que nos faz ser crítico? Será uma boa formação acadêmica? Será nossa história de vida? Será algo estritamente subjetivo, ou seja, não mensurável ou quantificável do ponto de vista material? O fato é que para não nos perdermos da crítica, eu comecei a tentar entender, o que diferencia uma pessoa dentro da educação ambiental, vou me ater a esse campo do conhecimento e pesquisa, consegue alcançar uma visão e discurso mais crítico, daquelas que, mesmo tendo recebido algum tipo de formação ou contato com a educação ambiental crítica, não alcança, como diz o professor Alexandre Maia do Bomfim “a crítica em volume máximo”. Continuar lendo

Anúncios