Para não nos perdermos da crítica


O que nos faz ser crítico? Será uma boa formação acadêmica? Será nossa história de vida? Será algo estritamente subjetivo, ou seja, não mensurável ou quantificável do ponto de vista material? O fato é que para não nos perdermos da crítica, eu comecei a tentar entender, o que diferencia uma pessoa dentro da educação ambiental, vou me ater a esse campo do conhecimento e pesquisa, consegue alcançar uma visão e discurso mais crítico, daquelas que, mesmo tendo recebido algum tipo de formação ou contato com a educação ambiental crítica, não alcança, como diz o professor Alexandre Maia do Bomfim “a crítica em volume máximo”. Continuar lendo

4 anos do blog Educação Ambiental Crítica


Tão atarefada que esqueci que no dia 24/04/2014, o nosso blog Educação Ambiental Crítica, completou 4 anos de existência (fui alertada pelo WordPress). Decidi colocar  nesse post, o “top 10” dos posts mais acessados ao longo de todo esse tempo:

1. Educação Ambiental e os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) https://eacritica.wordpress.com/2010/12/29/educacao-ambiental-e-os-parametros-curriculares-nacionais-pcn/ Continuar lendo

Estamos em greve!


As duas maiores redes de educação pública do Rio de Janeiro, que dão conta de grande parte do ensino básico, no município e no estado do Rio de Janeiro estão em greve. Eu dou apoio, total e irrestrito a greve da rede municipal, até porque, é que sofreu a maior arbitrariedade com a votação a fórceps de seu plano de cargos e salários numa câmara municipal, sem a possibilidade democrática da presença dos profissionais da educação dentro da câmara dos vereadores e com forte repressão policial do lado de fora na Cinelândia. No entanto, eu sou e estou em greve pela rede estadual, cabe lembrar que a rede estadual está em greve desde o dia 8 de agosto, e com uma adesão menor do que a da rede municipal.  Continuar lendo

Cidade limpa, povo civilizado?


Dia desses, numa atividade de educação ambiental com estudantes de um colégio estadual situado na baixada fluminense (Rio de Janeiro), realizamos uma caminhada no entorno da comunidade na qual o colégio se insere, e durante essa caminhada pude perceber algo que alguns autores vêm propondo, e que eu como educadora ambiental e pesquisadora na área também concordo: de como a educação ambiental se mal encaminhada, ou seja, se realizada de maneira conservadora, pode internalizar os valores do sistema, servindo como instrumento de reprodução e dominação social. Continuar lendo

O que um blog de Educação Ambiental tem a ver com os protestos das passagens?


Essa pode ser a primeira pergunta que os nossos leitores farão, “ué, mas vocês não falam de educação ambiental?”, a resposta vem rápida: Não. Falamos de ambiente, educação ambiental, educação e trabalho, isto é, tudo o que se desenvolve em nosso ambiente, ou seja, podemos falar de tudo.  Ser um blog de educação ambiental não nos impede uma leitura crítica do mundo e das suas relações, isso é educação ambiental crítica. Continuar lendo

O fenômeno do Diário de Classe de Isadora Faber: um contraponto


Sei que com este post, vou me aventurar em outro campo que não é o da educação ambiental crítica (o foco do blog), mas é sobre educação, e me sinto a vontade para falar sobre esse assunto pois sou professora. É também uma reflexão sobre alguns fenômenos que ocorrem nas redes sociais, que apesar de eu não possuir uma profundidade teórica grande, exercito Continuar lendo

Paz verde


Há algum tempo aqui no blog, tive a ideia de analisar uma letra de música interessante do ponto de vista das relações de consumo, chamada Bolsa de Grife da Vanessa da Mata. Além de prazeroso o processo de escrever o post, este me rendeu alguns elogios e incentivos.  Apesar de ter gostado bastante de realizar essa análise, essas coisas não acontecem toda hora, pois eu não ouço música pensando em escrever  posts…

No entanto recentemente, revisitando algumas músicas de uma banda antiga que eu ouvia quando era mais nova, tive Continuar lendo